Direitos e reclamações de consumidores – dicas e links.

[atualização 29/05/2011]
Notícias boas para sacudir o e-commerce no Brasil:

Lojas Americanas.com Proibida de Vender no Rio e Amazon no Brasil

[/atualização]

Freqüentemente, algum visitante deixa comentário ou me manda e-mail pedindo informações, reclamando ou solicitando providências de lojas de e-commerce como Submarino, Americanas.com (socorro), varejistas como Casas Bahia e Magazine Luiza ou operadoras de telefonia como Telefônica, Vivo, TIM, et cetera. Vários, pensam que este blogue ou eu temos alguma relação com as empresas ou somos orgãos que podem ajudá-los a conseguir ter o direito respeitado ou serem ouvidos.

Infelizmente, não posso fazer nada além de dar “voz” a estes consumidores ou alguma dica por e-mail e insistir que as empresas precisam investir menos em tecnologia e mais na relação humana com seus clientes consumidores.

Enquanto estas companhias não fazem esse investimento, continuo dando o espaço e dicas. Segue uma lista de links e dicas úteis:

  • ProconSP;
  • IDEC;
  • Entupa a caixa postal da empresa de e-mails: ombudsmen, SACs, etc;
  • Blog A Era do Consumidor;
  • Reclame Aqui.Net http://www.reclameaqui.net/;
  • Casas Bahia.Org;
  • Escreve em blogs e comunidades sobre o assunto (Eu Odeio Americanas.com, no Orkut, por exemplo). Não terão visibilidade direta, mas vão ajudar a tirar a empresa de boas posições em buscas (Google, Yahoo, et cetera) e vão abrir os olhos de compradores em potencial, a empresa vai gastar mais grana. Não resolve o seu problema mas dá uma satisfaçãozinha. :-) ;
  • Mande e-mail do ombudsman da empresa (como fiz com a da Americanas.com) ou para o e-mail dos investidores destas empresas.;
  • Artigos sobre a negócios, social media e as relações entre empresa e consumidor no Webinsider;
  • Escrever para veículos de mídia tradicional. Tantos os gerais como Folha, Estadão, JB e Veja, entre outros, como os de nicho ou mercado como INFO, Casa&Decoração, Consumidor Moderno;
  • Site Nunca Mais.Net, já mencionado anteriormente aqui no Post-Its no texto Utilidade Pública.

Conforme eu for lembrando de outras dicas, coloco aqui. Enquanto isso, clique aqui para ler outros textos sobre problemas no e-commerce, negócios e direitos dos consumidores aqui no Post-Its.

‘braços e boa sorte, crianças!

[editado em 25 de setembro de 2007 às 16h55]

Anúncios

Penso, logo reciclo. Que empresas respeitam o meio ambiente?

Se é preocupação genuína, marketing ou apenas o desejo de obter a certificação ISO 14001 eu não sei.

Mas o fato é que mais e mais empresas de grande porte vêm demonstrando preocupação com o meio ambiente.

Natura e Boticário já mantém uma relação íntima com o meio ambiente há um bom tempo e recentemente o Banco Bradesco, seguindo os passos do pioneiro Banco Real, adotou em todas as suas comunicações o uso do papel reciclado.

Mas e os pequenos e médios empresários, ou até mesmo organizações como escolas e outros representantes da sociedade civil? Como estão lidando com o meio ambiente?

A resposta não é muito animadora, pois a maioria ainda utiliza produtos e processos que agridem o meio ambiente.

O maior entrave à adoção de atitudes que respeitem o meio ambiente é a falta de informação e educação ambiental, pois muitos cuidados podem ser tomados sem a necessidade de grandes investimentos. E o preço do papel reciclado é cada vez mais competitivo, e portanto, embalagens e produtos com papel reciclado e artesanal já são viáveis para médios e pequenos empresários. Sem deixar de mencionar que receber brindes ou presentes em embalagens artesanais é muito mais charmoso e seu cliente ou seu amigo com certeza vai gostar.

Então, fique ligado. Garanto que vale a pena conhecer essas alternativas.

E no final das contas, todo o mundo, literalmente, sai lucrando.

Não vou dizer que assino embaixo, mas um vistinho…

Tá lá no Blue Bus hoje e vou tomar a liberdade de reproduzir aqui:

O unico culpado disso tudo sou eu | o leitor diante da situaçao 08:38

O culpado pelo estado de anarquia que amedronta Sao Paulo, pelo caos que vive o Rio, pelos problemas seculares do Nordeste e pela promiscuidade que tomou conta do poder público é uma pessoa só – eu. 16/05 Renato TerraEu que só me preocupo em juntar mais e mais dinheiro sem perceber que, em volta, todos estao preocupados em juntar mais e mais dinheiro.

Eu que nunca levei meu voto a sério a ponto de cobrar aqueles que elegi. Eu nao somo. Nao abro mao. Critico, culpo, mas nao dou a cara a tapa.

Nunca me faltou nada importante na vida. Mas eu nao me sinto parte de uma sociedade. Eu só me importo com a desigualdade quando ela se vira contra mim. Ninguém tem o direito de se rebelar. Só eu. 16/05 Renato Terra