Lojas Americanas.com Proibida de Vender no Rio e Amazon no Brasil

Eu já não compro na Americanas.com há um bom tempo – desde minha dramática experiência com a Americanas.com, anos atrás – e tenho evitado comprar no Submarino, do mesmo grupo. Esta semana, duas notícias me deram um certo alento e espero que sirvam para fazer o e-commerce brasileiro realmente amadurecer e respeitar o consumidor.

Americanas.com é proibida de vender no Rio

A loja online Americanas.com está proibida de fazer novas vendas no Estado do Rio de Janeiro até que regularize suas entregas atrasadas.

[…]

De acordo com o promotor Júlio Machado, autor da ação civil, a empresa estaria vendendo mais produtos do que possui capacidade de entregar.

A ação foi imposta em janeiro deste ano, depois de uma onda de reclamações feitas por clientes em relação às compras de fim de ano não entregues.

De acordo com O Globo, cerca de 500 reclamações contra a Americanas.com são enviadas ao jornal diariamente.

Fonte: Revista Info.

E a Amazon, a maior empresa de E-commerce no mundo – copiada por outras empresas em todos os países, inclusive aqui – está chegando no Brasil. Certamente, vai dar uma sacudida nos concorrentes.

Amazon Chega ao Brasil

A Amazon está aportando no Brasil. A maior varejista eletrônica do mundo deve iniciar sua operação por aqui no fim deste ano ou no início de 2012. Para isso, já negocia com editoras brasileiras a conversão, em grande escala, de títulos nacionais em e-books, além de vender por aqui seu leitor de livros digitais, o Kindle. “Estamos em contato com o emissário da Amazon. E ele está conversando com várias editoras locais”, revela Sérgio Machado, presidente da Record, uma das maiores empresas do setor editorial no país.

Mas a Amazon não vive só de livros. Ao contrário. No ano passado, suas vendas nesse segmento (reforçadas por discos, consoles de games, software e downloads) foram responsáveis por menos da metade do faturamento de 34 bilhões de dólares da empresa – que atualmente vende itens tão diversos quanto acessórios automotivos e ervas para gatos. A companhia americana confirma que tem “planos para o Brasil”, mas guarda segredo sobre eles.

Fonte: Blog do E-commerce

Vitrine Submarino: Cuidado ou Google ferra com SEO site.

Testando a nova vitrine de produtos do Submarino para usar no A Vida Secreta, me deparei com algo que pode ser bem prejudicial para seu site, mas ótimo para o site deles, no que diz respeito a SEO: um link bem escondidinho, além do link do banner.

Image Bank Afiliados Submarino. Vitrine com link escondido.Eu já achava pouco correto quase todo banner deles ter link usando âncora – o elemento a href do HTML – ao invés de script para gerar o link, mas no código da Vitrine Submarino – que você pode ver na imagem ao lado e está disponível na área de banco de imagens Submarino – o link está escondido através do código “text-indent:-9000px” , o que pode ser considerado trapaça pelo Google (Black Hat SEO), que não gosta nem de link escondido e nem da idéia de vender links, e isto pode ser entendido como venda de links.

Instalei o código no A Vida Secreta ontem, mas não tive dúvida, tirei o link. E para piorar hoje a vitrine não funcionou nem com reza braba (aliás, nem no preview no Imagebank usando Chrome) e isto estava deixando meu site mais lento. Não tive dúvida novamente: removi a vitrine

Mandei uma mensagem para o departamento de comissões do submarino e avisei no Twitter sobre este post, para saber a posição deles. Quem sabe finalmente respondem um e-mail com velocidade.

Enquanto isso, cuidado ao usar esta vitrine ou você pode ser punido pelo Google.

Direitos e reclamações de consumidores – dicas e links.

[atualização 29/05/2011]
Notícias boas para sacudir o e-commerce no Brasil:

Lojas Americanas.com Proibida de Vender no Rio e Amazon no Brasil

[/atualização]

Freqüentemente, algum visitante deixa comentário ou me manda e-mail pedindo informações, reclamando ou solicitando providências de lojas de e-commerce como Submarino, Americanas.com (socorro), varejistas como Casas Bahia e Magazine Luiza ou operadoras de telefonia como Telefônica, Vivo, TIM, et cetera. Vários, pensam que este blogue ou eu temos alguma relação com as empresas ou somos orgãos que podem ajudá-los a conseguir ter o direito respeitado ou serem ouvidos.

Infelizmente, não posso fazer nada além de dar “voz” a estes consumidores ou alguma dica por e-mail e insistir que as empresas precisam investir menos em tecnologia e mais na relação humana com seus clientes consumidores.

Enquanto estas companhias não fazem esse investimento, continuo dando o espaço e dicas. Segue uma lista de links e dicas úteis:

  • ProconSP;
  • IDEC;
  • Entupa a caixa postal da empresa de e-mails: ombudsmen, SACs, etc;
  • Blog A Era do Consumidor;
  • Reclame Aqui.Net http://www.reclameaqui.net/;
  • Casas Bahia.Org;
  • Escreve em blogs e comunidades sobre o assunto (Eu Odeio Americanas.com, no Orkut, por exemplo). Não terão visibilidade direta, mas vão ajudar a tirar a empresa de boas posições em buscas (Google, Yahoo, et cetera) e vão abrir os olhos de compradores em potencial, a empresa vai gastar mais grana. Não resolve o seu problema mas dá uma satisfaçãozinha. :-) ;
  • Mande e-mail do ombudsman da empresa (como fiz com a da Americanas.com) ou para o e-mail dos investidores destas empresas.;
  • Artigos sobre a negócios, social media e as relações entre empresa e consumidor no Webinsider;
  • Escrever para veículos de mídia tradicional. Tantos os gerais como Folha, Estadão, JB e Veja, entre outros, como os de nicho ou mercado como INFO, Casa&Decoração, Consumidor Moderno;
  • Site Nunca Mais.Net, já mencionado anteriormente aqui no Post-Its no texto Utilidade Pública.

Conforme eu for lembrando de outras dicas, coloco aqui. Enquanto isso, clique aqui para ler outros textos sobre problemas no e-commerce, negócios e direitos dos consumidores aqui no Post-Its.

‘braços e boa sorte, crianças!

[editado em 25 de setembro de 2007 às 16h55]

Cicarelli, Azeredo, You Tube, Americanas.com, Submarino e o bicho-papão chamado internet

[atualizado em 12/01/2007 às 09h55]

O desembargador voltou atrás e deu ordem para desbloqueio do You Tube.
[atualizado em 09/01/2006 às 13h10]
A dona Cicarelli, através do seu advogado Rubens Decoussau Tilkian, conseguiu que um desembargador ordenasse bloqueio ao You Tube, uma afronta aos direitos civis no Brasil. Proteste através da desobediência civil e burlando o bloqueio ao You Tube (mais detalhes aqui) e participando do boicote à Daniella Cicarelli: www.boicoteacicarelli.com

—–

Hoje o blog voltou a receber muitas visitas nos tópicos que dediquei ou citei o vídeo da Daniella Cicarelli transando na praia de Cadiz. Graças ao advogado dela, Rubens Decoussau Tilkian, que saiu dizendo aos quatros ventos que a Justiça Brasileira iria fechar o You Tube.

Essa idéia do sistema judiciário fechar o You Tube, mais o projeto ridículo do Eduardo Azeredo, a Via Crucis com as Americanas.com e também a forma como o Submarino – o site que não sabe fazer validação no servidor – se comportou em relação aos textos publicados pelo Bruno Torres só deixa claro que a internet ainda é bicho-papão, inclusive para quem vive dela e para ela.

É difícil saber com reagir com as mudanças e implicações que esse bicho-papão trouxe e ainda trará nas relações sociais e políticas, pessoais, econômicas e vários aspectos do cotidiano. Mais difícil ainda é saber se as mudança são/serão boas ou ruins.

O importante é esquecer que se tiver medo ou não se comportar direito, o bicho-papão te engole.

PS: Se alguém resolver me processar por ser mencionado aqui, vá em frente. Não renderá nada além de uma péssima imagem para si, garanto. E quem sabe eu viro um DVD Jon? :-)