COB quer proibir uso da palavra Olimpíadas em Escolas

Há algo de muito errado em relações aos direitos autorais. Se você não percebe, desculpe…

http://dicaevento.com/cob-tenta-barrar-uso-palavra-olimpiadas-escolas/

Anúncios

RIP Remix – Um Manifesto pelo Remix. Documentário open source sobre copyright, propriedade intelectual, crowd-sourcing e afins

Acabei de ver o trailer de um documentário que parece ser muito bacana:  RIP Remix – A Remix Manifesto, de Brett Gaylor.

Tratando sobre propriedade intelectual, colaboração, open source, crowdsourcing,  e afins, o livro tem entrevistas com diversas figuras defensoras de alternativas mais flexíveis ao copyright, como a licença GPL, Creative Commons e afins. Incluíndo aí o Lawrence Lessig e o ex-Ministro da Cultura, Gilberto Gil, conhecido por usar e estimular uso de ferramentas e posturas open source, inclusive no ministério(*). 

O projeto RIP Remix também parece ser bem colaborativo e aberto na forma que foi realizado e divulgado. Menos coletivo na realização que o livro brasileiro Para Entender a Internet (**), por exemplo, é interessante pois o diretor deu muita liberdade para pessoas do mundo todo remixar as imagens brutas que gravava, levando a uma edição diferente do que ele faria se fosse o único “dono” do projeto. 

Já a divulgação, aposta no apoio de colaboradores e expectadores, permitindo que o filme seja baixado pelo preço que o expectador escolher, e estimulando-o a fazer exibições públicas do filme. 

Abaixo o link para o site oficial (em inglês) e o trailer do documentário.

Vou baixar, assistir, e em cima do quanto eu gostar, baixo de novo e faço o meu preço. Acho que é justo não?

RIP Remix – A Remix Manifesto: www.ripremix.com

* = um bom exemplo da postura open source / colaborativa do Ministério da Cultura é o plug-in Gerenciador de Capas, para WordPress, usado pelo ministério em seu portal e disponibilizado gratuitamente nos sites Xemelê e Software Público. Eu uso em 4 sites de clientes e agradeço muito à equipe web do MinC pelo bom trabalho.

** = Recomendo enfaticamente a leitura de Para Entender a Internet, organizado pelo Juliano Spyer e com mais de 40 autores craques em internet e cibercultura.

Slip. De novo, Nine Inch Nails lança álbum de graça na internet

Pouquíssimo tempo depois de lançar o controverso Ghosts I-IV, o Nine Inch Nails lança outro álbum, de graça na internet: Slip.

E pelo jeito, quer mergulhar mesmo na cibercultura e cibersociedade: assim como o Ghosts I-IV teve divulgação e distribuição via internet e campanhas de apoio interessantes como distribuição de media kit com livreto e o festival de cinema YouTube + Nine Inch Nails, o Slip está sendo divulgado via sites de Torrents, Flickr e diversas comunidades e redes sociais.

E no site, a banda faz declarações para deixar bem claro sua posição e princípios:

“As a thank you to our fans for your continued support, “we are giving away the new nine inch nails album one hundred percent free, exclusively via nin.com.

[…]

the slip is licensed under a creative commons attribution non-commercial share alike license.

we encourage you to remix it, share it with your friends, post it on your blog, play it on your podcast, give it to strangers, etc.”

E traduzindo:

“Como agradecimento a nossos fãs pelo suporte contínuo, nos estamos dando o novo álbum do Nine Inch Nails, 100% gratuito, exclusivamente via nin.com.

[…]

The Slip é licenciado sob licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 3.0.
Nós o encorajamos a remixá-lo, compartilhar com seus amigos, publicar no seu blog, tocar no seu podcast, dá-lo para estranhos, etc.”

E, não por coincidência, três dias atrás eu recebi um e-mail do site nin.com anunciando a pré-venda de ingressos para a turnê do Nine Inch Nails nos EUA em 2008. Parece que o modelo comercial daqui pra frente é mesmo show né?

Agora é que neguinho vai ter que mostrar do que é feito também ao vivo, não apenas no estúdio.

Alguma dúvida de que eu já baixei o álbum e que estarei no show se eles vierem Brasil novamente?

:-)

Vejam abaixo o vídeo de uma das faixas do álbum, a babinha e cheia de segundas intenções, Discipline:


‘braços

This post in english, translated by Google Language Tools.

Mais imagens inspiradas pelo Nine Inch Nails

Miniatura de imagem hurt-wall-01a-quadrado, inspirada pela música Hurt, de Nine Inch NailsMais 3 imagens inspiradas pelas músicas do Nine Inch Nails, desta vez inspiradas pela música Hurt, do álbum The Downward Spiral, de 1993. Embora uma também seja um “remix” de imagem do livreto que vem com o novo álbum, Ghosts I-IV.

Miniatura de segunda imagem inspirada pela música Hurt, de Nine Inch NailsPara ver todas as imagens, clique nas imagens ao lado ou veja no meu Flickr.

Mais sobre os “remixes” de imagens podem ser encontrados aqui e sobre o novo álbum pode ser encontrado aqui.

Miniatura de imagem Nine Inch Nails , Ghosts I-IV, Remix booklet-pg05+hurt, inspirada pela música Hurt, de Nine Inch Nails

Aproveitem.

Notas sobre Ghosts I-IV, do Nine Inch Nails.

Miniatura de papel de parede  Nine Inch Nails , Ghosts I-IV, Remix wallpaper1+5b
Só para constar, já tem 4 dias que ouço o álbum Ghosts I – IV, do Nine Inch Nails, na íntegra.

Tirando um ou outro deslize aqui ou ali, e uma ou outra faixa com cara de sobra de sessões de outros discos , o álbum é realmente é muito bom, embora longo: depois de um tempo, fica cansativo e pode desagradar o ouvinte não acostumado. No final, é o que o pacote de divulgação prometia:

Se o álbum seguir a linha das 9 faixas disponbilizadas será um álbum maravilhoso: predominantemente suave, reflexivo e melancólico, mas com aquele clima sombrio típico do Nine Inch Nails. Uma espécie trip-hop sujo, com os timbres típicos do rock industrial que Trent Reznor e asseclas costumam usar.

Se os álbums da banda até aqui poderiam ser perfeitas trilhas sonoras para o fim do mundo, e pelo que já deu para ouvir, Ghosts I -IV será o álbum pós-apocalíptico perfeito: como se o Armagedon tivesse passado, você se descobrisse sozinho e se perguntasse o que seria a partir dali.

Miniatura de papel de parede Nine Inch Nails , Ghosts I-IV, Remix wallpaper2+7a
O álbum já está disponível em redes Torrent, e foi lançado sob a licença Creative Commons do tipo Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 3.0, o que significa que quem baixar não estará fazendo nada de ilegal, desde que siga as regras da licença (acho que o título é auto-explicativo). E para aqueles que acham que isso é a banda dar um tiro no pé, saiba que a banda já faturou mais de US$ 750 mil, segundo o site G1, da Globo.com. Ou seja, assim como a pirataria foi boa para o Tropa de Elite, distribuir o novo álbum, gratuitamente, foi ótimo para o Nine Inch Nails.

Miniatura de papel de parede Nine Inch Nails , Ghosts I-IV, Remix wallpaper2+7a

E aproveitando o espírito de re-utilização Creative Commons, “remixei” quatro imagens do álbum, que estão no meu álbum do Flickr. Os links para os 3 remixes estão abaixo, ou então, clicando nas imagens ao lado. Para ver as fotos originais, veja o primeiro post sobre o álbum.

Divirtam-se.