Palavra da Semana: Resiliência

E a palavra da semana é ‘resiliência‘, definida pela Wikipédia como:

Resiliência ou resilência é um conceito oriundo da física, que se refere à propriedade de que são dotados alguns materiais, de acumular energia quando exigidos ou submetidos a estresse sem ocorrer ruptura. Após a tensão cessar poderá ou não haver uma deformação residual causada pela histerese do material

[…]

Atualmente resiliência é utilizado […] para caracterizar pessoas que têm a capacidade de retornar ao seu equilibrio emocional após sofrer grandes pressões ou estresse, ou seja, são dotadas de habilidades que lhes permitem lidar com problemas sob pressão ou estresse mantendo o equilibrio.

“Vem ni mim”, resiliência. “Vem ni mim”.

Anúncios

Informação e consumidor emergente

Já disse algumas vezes e repito: tenho muito respeito pela visão do Fernand Alphen.

Mais um artigo genial dele no Webinsider:

O emergir do consumidor

Mário mora na periferia do Rio. Ele tem pouco mais de 20 anos e ganha trezentos e poucos reais com um emprego no supermercado. Mas uma coisa faz do garoto um cara diferente de seus pais, imigrantes nordestinos. Mário faz um bico vendendo DVDs piratas que ele mesmo confecciona. Dá pra tirar uns quinhentos por mês, dependendo da temporada de lançamentos.

Mário faz sucesso e não deixa barato: capricha no visual, nas roupas da moda, perfume e produtos de beleza. Sabe tudo o que pega e o que rola.

Essa é a diferença: o desejo de consumo.

Então seria a tal da nova economia uma das novidades desse novo Brasil? Sempre houve informalidade no Brasil. Todo mundo sempre fez bico. A cauda longa é velha nossa conhecida. Só não tinha nome bonito nem frequentava dez entre cada dez congressos para bonitos executivos.

O Mário tem internet faz tempo e também faz tempo que a internet para Mário não é só uma grana a mais. Mário vai nos blogs, frequenta comunidades, se liga nas novidades. Sabe mais de tendências do que a maioria dos bacanas que aplaudem a cauda longa.

Informação universalizada, democraticamente distribuída não quer dizer apenas mais instrução e mais consciência. Não quer dizer apenas mais oportunidades econômicas. Também quer dizer mais desejo.

E o desejo é o reforço positivo indispensável para emergir da sobrevivência.

Artigo completo no webinsider.

Entendendo Branding – Não é só marca ou logo bonitinho

Assunto que sempre falei aqui no Post-Its, o branding não é apenas ter uma marca ou um logotipo bonito.

Branding engloba uma gama enorme de características, posturas, posicionamentos e práticas de uma empresa para com seus públicos internos e externos: consumidores, fornecedores, funcionários, imprensa, etc. Na criação e oferta de produtos e serviços, no atendimento, na comunicação e muito mais.

Não sou uma autoridade no assunto, mas aproveitando a lista de 8 links para entender branding no site Branding e Marcas, da GlobalBrands, aproveito para fazer uma listinha com as vezes que mencionei duas empresas que considero ótimos exemplos de branding: o Google e a Apple, empresas cujos funcionamento e aparência de produtos e serviços refletem a filosofia e os princípios que afirmam seguir. Ao menos, na maioria dos casos.

Aproveitem

Google Chrome e Gtalk matando Internet Explorer e MSN Messenger

Acho que não precisa muito para o IE e o MSN Messenger serem atropelados pelos produtos Google Chrome e Talk. Bastaria, além das melhorias de escopo puramente técnicas, voltadas principalmente à segurança e estabilidade dos produtos, adicionar umas poucas funcionalidades para atender usuários corporativos e domésticos.

No Google Chrome

  • Disponibilizar add-ons do Firefox/Mozilla (e talvez do IE7).
  • Integrar ao Orkut (para o público doméstico).
  • Integrar melhor ao Google Calendar, Docs, Spreadsheets e Google Talk (para o público profissional principalmente).

No Google Talk (Gtalk)

O programa já é bom.

Na sua versão oficial, já tem uma velocidade de transferência maior e mais qualidade de áudio que o Messenger, além de permitir que você escreva “bíblias” (o Messenger tem limite de caracteres) e não ter publicidade em todo canto. Na versão Labs Edition, integra-se bem ao Orkut e ao Google Calendário, embora seja mais pesado e lento. Para matar mesmo o concorrente, bastaria dois ítens:

  • Permitir conversa entre múltiplos usuários.
  • Oferecer suporte a vídeo.
  • E para chutar cachorro morto: oferecer possibilidade de enviar emoticons e winkies ridículos (mas que não seja padrão!).

Uma vida 100% Google. Alguém faz uma aposta de quando isso acontecerá?

Post-It: Problemas na comunicação corporativa

Indicando e repicando…

Excelente post do Sílvio Meira, bambambam do C.E.S.A.R., no blog Inovação… e o que mais?.

SEDUZIDOS PELO SUCESSO: o caso da CONFUSÃO

CONFUSÃO NAS COMUNICAÇÕES CORPORATIVAS – Por Silvio Meira

Em seu livro Seduced by Success, Bob Herbold discute nove armadilhas criadas, em negócios de sucesso, pelo próprio sucesso. Uma delas, talvez a mais comum, é a confusão nas comunicações corporativas – aquela situação onde todo mundo fala, mas ninguém ouve. Ou quando só se quer ouvir certas coisas, ou quando os canais de comunicação estão sempre bloqueados, ou parecem estar… Confusão pode ser “só” a temperatura de problemas muito mais complexos nas empresas de sucesso; é esta “temperatura” que nós temos que controlar nas empresas. Na verdade, temos que tratar de “curar”, nos negócios, as razões pelas quais a confusão (a “temperatura”) aumenta.