CQC, Sarney, Os Intocáveis, Capone e o Nazismo

Cena de Os Intocáveis (The Untouchables), de Brian de Palma, filme que romantiza um período difícil, vergonhoso e triste, da história americana:

“Quer saber como se pega Capone? Ele puxa uma faca, você puxa uma arma. Ele manda um dos seus pro hospital, você manda um dos dele pro necrotério….”

Curto e grosso:

Isso se chama escalada de conflito. Acontece freqüentemente em períodos difíceis, vergonhosos e tristes, como o momento vergonhoso pelo qual passam nossas instituições.

Ver o presidente do Senado, José Sarney, chamando a imprensa que o condena de nazistas, e ver jornalistas (ainda que com viés humorístico) do CQC associá-lo ao nazismo é, paradoxalmente, um escalada muito grande do desrespeito e conflito entre instituições e uma banalização do nazismo. E o nazismo é algo muito pior do que a Wikipédia dá a entender.

É vergonhoso e triste.

Tá na hora de começar a pensar melhor, galera.

7 respostas em “CQC, Sarney, Os Intocáveis, Capone e o Nazismo

  1. Parabéns pelo post. Conheci agora seu blog, por acaso, gostei muito, especialmente por vc ter tocado neste tema. Acho que só nós dois notamos essa banalização de temas tão delicados.
    Quando isso aconteceu, cheguei a mandar e-mail para o cqc protestando. Não contentes, no próximo programa fizeram essa piadinha infame sobre a segunda guerra.
    Isso chega a ser desrespeitoso com as vítimas do nazismo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s