Escrever errado não é privilégio de ninguém

Geralmente, as fotos que são mostradas de frases ou palavras que atentam contra a língua portuguesa são de rincões do país ou de locais afastados de grandes centros e do eixo Rio-São Paulo. Geralmente têm um forte carga de preconceito nelas.

Foto de Bolso - Placa atentando contra a l�ngua portuguesa na Vila Ol�mpia, em São PauloMas a foto que acabei de colocar no Flickr foi feita por mim na Vila Olímpia. Um bairro paulistano onde tudo é caro – dos imóveis ao almoço – e onde muitas empresas abonadas na área de tecnologia, comunicação, et cetera, se instalaram. E essa foto mostra bem que escrever errado não é privilégio de ninguém. Cliquem na miniatura para ver no meu álbum do Flickr.

PS1: Cá pra nós e antes que alguém me atire uma pedra: eu mesmo cometo meus deslizes, mas esse cara “caprichou”, hein?

PS 2: Na Vila Olímpia tem muita gente bacana, mas a quantidade de gente metida, arrogante, mal-educada e pretensiosamente é absurda. E isto de forma democrática: ricos e pobres agindo da mesma forma. :-)

8 respostas em “Escrever errado não é privilégio de ninguém

  1. Geralmente são mostradas, principalmente em sites de humor, as palavras erradas escritas no rincão do país. Porém, onde mais se comete aberrações são nos grandes centros, por essa molecada (só molecada???) que cada dia mais assassina a língua portuguesa e com o maior prazer…
    O Orkut (por exemplo) é um verdadeiro Diário Popular, onde esses assassinatos são estampados sem nehum pudor!!

    Erika Bessa Coelho
    Fruit & Food Log
    logística e exportação de frutas, carnes, peixes e frutos do mar

    Fruit & Food Log
    exotics fruits, meat, fish and seafood trading and logistics

  2. Filé empanado do quê? Peru? Não entendi.

    Tenho que comprar um celular com uma câmera digital decente só para tirar esse tipo de foto.

    Outro dia, numa loja de móveis caríssima aqui de Chapecó, havia um cartaz de cartolina com algo como:

    “Agora você pode entrar.
    Os preços abaixaram.”

    Para começar, desde quando loja para a elite põe cartaz de cartolina na vitrina? Segundo, que tipo de convite é esse? “Venha, seu pobre que acha que não tem dinheiro para comprar aqui. Os preços estão mais baixos agora.”

    “Os preços abaixaram” está gramaticalmente correto, mas me passa uma idéia de vários pequeninos preços encolhidos em um canto…

  3. “Os preços abaixaram” está gramaticalmente correto, mas me passa uma idéia de vários pequeninos preços encolhidos em um canto…

    E depois, eles brincando de esconde-esconde pela loja inteira!

  4. Engraçada vc, Fabiana.
    “Filé empanado do quê? ”

    Não é “do quê”. Se não se sabe do quê(exatamente o quê) ele é feito, é algo inespecífico, usamos o “de quê”.
    “Filé empanado de quê?”.

  5. Oi, Celso, sou repórter do iG Carreiras e estou fazendo uma matéria sobre como escrever e falar errado pode prejudicar o seu trabalho. Essa foto que você tirou está ótima.
    Queria saber se você pode me dar uma entrevista para dizer o que achou desse cartaz e se você entrou lá para comer as “almondas”. e também se você nos emprestaria a foto para publicarmos no iG. Abs, Carolina
    mcnomura@ig.com.br

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s