Asian Dub Foundation: boa música e engajamento político e social além da retórica

Acabei de receber um e-mail da gravadora do Asian Dub Foundation que traz ao mesmo tempo uma boa notícia e uma provável má sobre a banda.

  • A boa é que a banda está lançado uma coletânea que conta com 17 músicas, da quais 3 inéditas na edição especial, chamada Time Freeze;
  • A provável notícia má é que geralmente o lançamento de coletâneas precedem dissolução de bandas ou uma fase de ostracismo e perda de qualidade. E após a saída do baixista Dr. Das, tenho um medo muito grande do futuro do ADF.

Quem ou o que é Asian Dub Foundation?

É uma banda britânica formada por descendentes de indianos e paquisteneses que faz um som muito bom misturando drum’n bass, ragga, jungle, punk rock, dub, reggae, hiphop e muito mais – conseguiram até diminuir meu preconceito contra funk pancadão com a música Enemy of the Enemy, do álbum de mesmo nome.

O engajamento político, social e musical da banda vai muito além da retórica.

A banda se formou em uma organização cultural e educativa chamada Community Music, que oferecia oficinas de música e outras formas de arte e expressão a imigrantes em Londres e as letras refletem o engajamento concreto em questões sociais e políticas, através do suporte e participação ativa e concreta de várias campanhas e causas. Desde participar de campanhas de combate à violência contra mulheres – que rendeu uma bela música com participação da Sinead O’Connor chamada 1000 Mirrors, a protestarem em frente à prisões pedindo a liberdade de um imigrante que foi preso por reagir ao espancamento por parte de xenófobos e que também se transformou em música, chamada Free Satpal Ram.

O engajamento é tão forte que durante as turnês, é comum que os integrantes conheçam comunidades carentes e projeto sociais, além de buscarem conhecer a cultura, principalmente musical, de cada local ou comunidade que visitam. No documentário bônus do DVD Keep Bangin’ on the Walls (live) eles mostram diversos registros dessas visitas a comunidades em Cuba, Jamaica e Brasil, entre outros.

No Brasil, em 2001, conheceram a comunidade de Peixinhos em Recife, Vigário Geral no Rio e favelas em São Paulo. Em todos os locais, promoveram oficinas ou jam sessions com artistas locais. Em São Paulo tocaram no teatro do SESC Belenzinho junto com o grupo Os Meninos do Morumbi – você pode ver um trecho dessa apresentação no DVD – e tive o prazer de ser um dos dois fãs que viram essa apresentação extra-oficial, e acredite, foi só um gostinho do melhor show da minha vida: que começou com música nova, em português, e que contou com centenas de pessoas com energia suficiente para iluminar Sampa inteira.

A propósito, essa música em português chama-se 19 Rebellions, conta com participação de Edy Rock, dos Racionais MC’s e trata das motivações e implicações das rebeliões promovidas pelo PCCPrimeiro Comando da Capital em 2001.

Não consigo deixar de dar um sorriso irônico e nervoso ao pensar que uma banda estrangeira teve mais visão sobre um problema brasileiros do que nós mesmos. E apesar de toda a repercussão das ações de violência do PCC em maio de 2006, insistimos em fingir que monstros e anjos são invisíveis.

Quem tem ouvidos e olhos para ver, ouça e veja

Se você é fã da banda não preciso dizer muito, mas se você quer se dar a oportunidade de conhecer uma banda realmente relevante, veja o DVD Keep Bangin’ on the Walls e não deixe de ouvir a coletânea Time Freeze – The best of Asian Dub Foundation e 3 álbuns que considero fundamentais: Rafi’s Revenge, a obra prima Community Music e Enemy of the Enemy

Tenho certeza que será bom para abrir seus olhos, ouvidos e mentes. Afinal, como dito em 19 Rebellions: “as arma que nóis tem é nossa mente.” (sic)

‘braços e keep bangin’ on the walls.

Hotsite da coletânea: www.emi-artistes.com/adf/en/card/page2.html

Anúncios

5 respostas em “Asian Dub Foundation: boa música e engajamento político e social além da retórica

  1. Pingback: Post-It: Mais sobre Asian Dub Foundation « Celso Bessa Post-its

  2. Pingback: Punkara - Asian Dub Foundation voltando à forma « Celso Bessa Post-its

  3. Pingback: Organizar e conquistar. Aprendendo com o PCC – Primeiro Comando da Capital « Celso Bessa Post-its

  4. Pouco tinha ouvido a banda e muito menos sabia sobre reais atitudes de mostrar, protestar e vivenciar todos esses abusos sofridos por todas as minorias, seu texto reforçou minha admiração pelo som e pelas atitudes dessa rebeldia, reflexão, ação, proteção, que se chama Asian Dub Foundation.
    Valeu!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s