Gérberas e livros

Escrevi um tempo atrás, em duas versões, como exercício de linguagem. É um trabalho em progresso, estas versões estão sob licença Creative Commons e ficam como penúltimo post do ano.

Versão 1

Guardei um botão de Gérbera num daqueles livros que sempre dou um lida.
Guardei para aprender a lidar com a lembrança que a Gérbera continha.
Sempre que eu relia o livro, relia a Gérbera, revivia e tornava à lida.

Um dia, do botão de Gérbera, faltava uma pétala, depois outra, a cada lida.
Me livrei de cada uma. A lidar com as lembranças, também da Gérbera, tadinha.
Tornei a ler meu livro, a Gérbera não mais vivia e eu tornava à vida.

Versão 2

Guardei um botão de Gérbera num daqueles livros que sempre dou um lida.

Guardei para aprender a lidar com a lembrança que a Gérbera continha e sempre que eu relia aquele livro, relia a Gérbera, a revivia e depois tornava à lida.

Um dia, no botão de Gérbera, faltava uma pétala. E depois outra e outra a cada lida. Sumiu uma por uma e por fim sumiu também a Gérbera, tadinha.

Tornei a ler meus livros e se a Gérbera não mais vivia, eu tornava à vida.

Uma resposta em “Gérberas e livros

  1. Pingback: Argumentos contra o copyright, por Fernand Alphen. Viva o Creative Commons! « Celso Bessa Post-its

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s