A violência real e a violência com glamour (e a Uma Thurman)

Acabei de comentar por e-mail o seguinte texto do Blue Bus:

Brasil | O garoto na capa da Veja já é coisa do passado, sabe da ultima? 08:30 Bom dia. A dona de casa Silene Mena dos Santos, 25, morreu ao ser esfaqueada por uma adolescente de 17, no Parque Oziel, periferia de Campinas, SP, na noite do sábado. Segundo testemunhas, a garota se aborreceu com o pedido da vizinha para que abaixasse o volume da música, que poderia acordar seu filho recém-nascido. 12/02 Julio Hungria

E meu comentário, reproduzo abaixo.

——-

Sempre digo (e escrevo) que acredito em duas coisas para se transformar o mundo:

Acho que nesse momento teremos um novelo de idéias, de opiniões, etc. Se puxarmos o novelo em busca da ponta, vamos encontrar a culpa pela omissão ou alienação de todos e cada um em algum momento e temos que retomar nossa responsabilidadeque é bem diferente de culpa.

Acho que passa por assuntos pesados e pontuais, mas passa por assuntos pequenos e contidianos, como bem disse a Ângela Marsiaj, no Blue Bus, tempos atrás:

Melhor exigir que alguém conserte Brasília. Você só nao sabe quem.

E não posso deixar de lembrar a música d’O Rappa, Tumulto, de 1995 (sim, 12 anos trás).

Tumulto
O Rappa

Composição: (marcelo Yuka, O Rappa)

eu sempre penso duas vezes antes de entrar
mas tem certos momentos
que atingem o inconsciente popular

tumulto corra que o tumulto está formado
vem cá, vem vê, vem cá, vem vê
que dentro do tumulto pode estar você

panela batendo, toca fogo no pneu,
põe barricada
velhos, senhoras e crianças
a mulecada pula debocha e dá risada
parece brincadeira, mas não é
a comunidade não aguenta mais tanto tempo
tanto tempo sem água

tudo bem ele era o bicho,
mas saiu daqui inteiro
e até chegar no hospital
ganhou três tiros no peito
e a galera daqui fez igual
fizeram em Vigário Geral
todo mundo pra rua aumentar o som
pra causar algum tipo de repercussão

quando o monstro vem chegando
chegando, chegando
e ameaçando invadir o seu lar

E para tentar animar um pouco o clima, que tal ver a Uma Thurman reprisando o papel d’A Noiva em Kill Bil… ops, quero dizer, no Point Zero, o mais novo Pirelli Film? Só assim para achar a violência bonita

Então vai lá: www.pirellifilm.com/thefilm/viewTheFilm.jsp

Post Its: Cicarelli transando, mídia externa, comunidades, Jean Charles de Menezes e mais.

Boicote a Daniella Cicarelli[atualizado em 12/01/2007 às 09h55]

O desembargador voltou atrás e deu ordem para desbloqueio do You Tube.

[atualizado em 09/01/2006 às 13h10]
A dona Cicarelli, através do seu advogado Rubens Decoussau Tilkian, conseguiu que um desembargador ordenasse bloqueio ao You Tube, uma afronta aos direitos civis no Brasil. Proteste através da desobediência civil e burlando o bloqueio ao You Tube (mais detalhes aqui) e participando do boicote à Daniella Cicarelli: www.boicoteacicarelli.com

—–

Recebi várias mensagens através de e-mails e comentários, alguns bem mal-educados ou agressivos, por conta de duas polêmicas:

Vou aproveitar e compartilhar alguns fatos e “post its mentais” que escrevi por conta dessas mensagens:

  • Um número grande de intelectuais e/ou intelectualóides defendendo uma blogosfera mais engajada e fazendo julgamento de valor por eu me preocupar com a Daniella Cicarelli transando ou não. Garanto que há muito o que se apreender e depreender desse assunto. Pode render teses de mestrado até;
  • Muita gente me acusou de estimular o desemprego por conta da minha defesa da lei sobre mídia externa recentemente aprovada em São Paulo. Para estes, lembro que o mercado de turismo e eventos é um dos mais lucrativos e que mais emprega no mundo. O Brasil é deficitário nesse mercado e São Paulo, apesar de concentrar a maior parte dos eventos do país, tem um potencial é muito maior. Pensem nos empregos diretos e “infinitos (i-n-f-i-n-i-t-o-s) de indiretos” que podem gerar. Se é para ser frio e analítico, acho que o número será maior que os desempregados da poluição visual, o aporte de capital estrangeiro maior (bom para o Brasil todo né?) com o bônus de ter uma cidade mais agradável;
  • Que outros mercados se beneficiariam de uma cidade mais civilizada e agradável? E aqui me refiro a um sistema de transporte e infra-estrutura inteligente e otimizado, de menos poluição no ar, menos trânsito, menos violência, menos poluição sonora (Quem já tentou falar com alguém no celular andando pela Juscelino Kubitschek sabe que ou vai ficar com a garganta inflamada ou vai ficar surdo!). São problemas diferentes com soluções diferentes, mas é justamente com um passo aqui e ali que se caminha;
  • Quem ganha dinheiro com mídia externa, outdoores, sinalização e afins (sim, eu sei a diferença entre eles :-) ) e agora vai perder a boquinha. Alguma vez me deu realmente algo de valor, que fosse 1 real, por atravancar o meu exercício do direito de ver a arquitetura da cidade que tanto amo? Além de contribuir com imposto claro. Mas nós sabemos que pagamento e aplicação de imposto é um terreno muito pantanoso no Brasil ( o que é outro problema com outra solução);
  • Pelo que noto em conversas, enquetes e comentários em sites diversos. A maioria da população aprova a proibição de mídia externa em São Paulo;
  • A maioria não teve a manha de publicar um comentário público e, pior ainda, não se deram ao trabalho de ler outros comentários ou outros posts sobre o assunto no blog para contextualizar melhor suas mensagens e opiniões ou simplesmente não se deram ao trabalho de embasar melhor argumentação;
  • Não é a primeira experiência que tenho com grupos de usuários com opiniões divergentes e polêmicas. Já fui webmaster do falecido Zip.Chat, moderador de uma lista de discussão sobre política e sociedade e em todos os casos há um padrão de comportamento. A tendência maior é sempre à um aumento da agressividade e intolerância. O que leva a um desafio ao moderador/dirigente: deixar o barco rolar até a autodestruição ou ser um tirano e botar ordem na casa? Encontrar o equilíbrio é difícil. Se isso acontece em grupos pequenos, imagina em um país? Ficamos na opção de fuzuê ou ditadura;
  • Parece que os vícios de muitos analistas e veículos de mídia tradicionais ao opinarem ou lidarem com informação são compartilhados por muitos seres humanos modernos. Quem é causa e quem é efeito?
  • Sempre cito alguns princípios taoístas ao dizer que é preciso reformular, ter cuidado e preocupar-se com várias questões antes de elas se tornarem problemas. Pois então, é mais ou menos isso aqui que a leitora do Blue Bus, Suzana Cavalieri, comentou: “Se todos usassem o bom senso na hora de expor sua própria imagem, tenho certeza que a mídia exterior nao seria taxada como poluiçao visual. É uma pena.”;
  • Off-topic: Alguém se ligou que as autoridades britânicas tiraram da reta no caso do Jean Charles de Menezes? A Scotland Yard declarou-se inocente , e se é inocente e ninguém mais foi declarado culpado, a família do Jean ainda tem que assumir que o filho é culpado por sua própria morte? Que tal reclamarmos por respeito, já que não fizeram justiça, junto à Embaixada Britânica?
  • Por último: O pico de audiência do post sobre a Cicarelli (olha ela de novo aqui) foi de mais de 42000 acessos. Como previsto, vem caindo e está estabilizando. Só então vou escrever os próximos artigos sobre SEO (Search Engine Optimization).

Vou nessa, pois ainda tenho que ganhar o leitinho das crianças lá n’A Panela.

‘braços

Celso Bessa

go = Gerador Zero: Live Set 1 e Samba do Aeroporto

Off-topic: Celso Bessa Post-Its no Top 10 do Coke Ring.

O blog está entre os Top 10 no Coke Ring e para tornar-me Coke “jedi” Master preciso receber votos. Se gostou do blog, então por favor, clique no selo na coluna à direita. Levará pouco tempo, não nos deixará mais ricos e nem mais pobres, mas eu posso ganhar alguns prêmiso que vou vender ou rifar e o doar 50% da grana ao projeto Galera Solidária. Um projeto bacana que você conhecer mais – e vir a participar – no site www.galerasolidaria.com.br .

O Galera Solidária é um projeto voluntário que tem como intenção levar um pouco de amor e carinho às pessoas necessitadas, que iniciou em 1999 com uma turma de amigos e hoje conta com um número cada vez maior de pessoas interessadas em participar do nosso Caminhão Solidário, que acontece 1 vez por ano, em Dezembro.

Não vou dizer que assino embaixo, mas um vistinho…

Tá lá no Blue Bus hoje e vou tomar a liberdade de reproduzir aqui:

O unico culpado disso tudo sou eu | o leitor diante da situaçao 08:38

O culpado pelo estado de anarquia que amedronta Sao Paulo, pelo caos que vive o Rio, pelos problemas seculares do Nordeste e pela promiscuidade que tomou conta do poder público é uma pessoa só – eu. 16/05 Renato TerraEu que só me preocupo em juntar mais e mais dinheiro sem perceber que, em volta, todos estao preocupados em juntar mais e mais dinheiro.

Eu que nunca levei meu voto a sério a ponto de cobrar aqueles que elegi. Eu nao somo. Nao abro mao. Critico, culpo, mas nao dou a cara a tapa.

Nunca me faltou nada importante na vida. Mas eu nao me sinto parte de uma sociedade. Eu só me importo com a desigualdade quando ela se vira contra mim. Ninguém tem o direito de se rebelar. Só eu. 16/05 Renato Terra